Bullet Journal: a vida em método

Todos nos deparamos com épocas mais preenchidas que outras e os nossos dias mal chegam para tudo a que temos de deitar mão. Pouco contente com a oferta de agendas no mercado, decidi investigar e lançar-me no Bullet Journal, que é hoje o melhor método para organizar a minha vida.

Na sua génese, este método analógico pretende simplificar a forma como se usa enquanto agenda e bloco de notas. Através de símbolos para cada tipo de tópico, torna-se mais fácil, rápido e intuitivo usar este caderno pontilhado – o meu foi comprado na FNAC.

O meu encontro com o Bullet Journal

Já não recordo com exatidão quando ouvi falar sobre esta ferramenta pela primeira vez, mas um dia percebi que não fazia sentido ter uma agenda e mais uns tantos blocos de notas para trabalhar os meus dias. Este caderno veio dar sentido e organização a todos esses temas, permitindo ter tudo num só sítio.

Investiguei formas de o fazer, estilos de preenchimento, ideias decorativas e dicas de organização. O que não falta são ideias! Ao fim de meio ano de uso, o Bullet Journal provou ser, para mim, a ferramenta mais eficaz para manter debaixo de olho o mais importante do mês, da semana e do dia.

Em que difere, então, de uma outra agenda?

Na liberdade e criatividade que nos dá, para o construirmos à nossa medida e ao ritmo da nossa vida. Construímos conforme precisamos, decoramos ao nosso gosto, colorimos e preenchemos com o que quisermos – o meu Abril está muito primaveril, com caligrafia fluída e uma espécie de malmequer que marca topos e fins de página.

Bloco de notas, agenda, calendário, lembretes, diário… o Bullet Journal assume o que quero que ele seja, ao mesmo tempo que permite dar asas à imaginação e seguir a inspiração para criar conforme queira.

No meu caso, e por agora, organizo o mês em duas páginas (como mostra a fotografia em cima).

  • De um lado, registo objetivos e eventos relevantes, assim como ideias de artigos para escrever, um mood tracker colorido (cada cor representa um mood), livros, projetos e gastos que estou a prever.
  • Do outro lado, em três colunas aponto compromissos relevantes para os dias do mês, no campo profissional, pessoal e da faculdade.

Para cada semana, desenho um quadro sumário com atividades regulares durante a semana (leitura, Yoga e estudo, no meu caso) e, depois, cada dia tem o seu espaço para anotar compromissos. Normalmente, faço esta planificação no sábado ou domingo antes de cada semana começar.

Há ainda espaço para notas e lembretes relevantes, assim como para acompanhar hábitos – recomendo este caso queiras desenvolver ou manter determinado hábito, como escrever mais, comer melhor ou fazer mais exercício.

Se souber que será uma semana atarefada, deixo a folha seguinte livre para ir organizando cada dia com detalhes do que terei de concretizar nesse dia – ligar a um familiar, fazer compras, responder a um email, terminar projeto…

Pelo meio, conforme o que ando a fazer, a ler ou a estudar, crio outros quadros e listas que me são úteis. Assim, posso ter toda informação relevante num só local, garantindo que não me esqueço de nada.

Dicas relevantes

Se ficaram com vontade de criar o vosso Bullet Journal, deixo-vos 3 dicas para o construírem de forma a torná-lo o melhor aliado do vosso dia:

  1. Deixa-te levar pela inspiração – É bom termos ideias e sugestões do que fazer, mas só nós mesmos sabemos o que queremos colocar na nossa agenda. Faz esboços e experiências e coloca no papel o que te fizer mais sentido.
  2. Adapta-te – não somos todos iguais nem somos os mesmos o tempo todo. Por agora o teu journal tem um aspeto mas, com outras tarefas e gostos, no próximo mês podes adaptar a construção tendo essas mudanças em conta.
  3. Vai com calma – não tentes preencher o caderno inteiro de uma vez, desenhando overviews e quadros para todos os meses, fazendo conta às páginas que deves deixar livres. Eu mesma o fiz antes e, no fim de contas, tive de abandonar esse projeto e começar um caderno novo… Por isso, preenche o Bullet Journal à medida que vais precisando, de semana para semana, com tudo o que de relevante se vai passando dentro delas. Mais que pensar no futuro, será planear e viver no presente.

Resgatem esses lápis e canetas de feltro da gaveta lá de casa e divirtam-se a pôr no papel quem são hoje e como são os dias dessa pessoa. No final do ano, será muito gratificante ver a evolução, a nível de estilo e de gestão, que foi acontecendo.

Já estavas familiarizado com o Bullet Journal? Tens algumas dúvidas? Partilha tudo nos comentários em baixo.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s