Melhorar com Deep Work

A leitura que precisava para redescobrir o foco – no trabalho, nos hobbies, nos projetos. Deep Work é um livro a ler e a manter por perto se queres desenvolver algo de forma mais profunda, focada e significativa.

Num mundo marcado pela hiper conectividade, distrações variadas e estímulos constantes, torna-se cada vez mais difícil manter o foco no que fazemos. Tendemos a aborrecer-nos com facilidade, a deixar para mais tarde as tarefas que não gostamos e a viver todos os dias de forma superficial.

É precisamente contra esta superficialidade (de trabalho, de aprendizagens, de vivências) que Deep Work trata. O termo que dá título ao livro, e que traduzido à letra nos dá algo como “trabalho profundo”, está já cunhado e é uma das formas de trabalho preferidas por bem sucedidas personalidades.

O que é o deep work

De autores a investigadores, passando por grandes empresários e donos de multinacionais, são muitos os defensores da atividade que segue a norma de deep work. E a regra é, aparentemente, simples:

Focar na tarefa a desenvolver, conseguindo assim alcançar níveis de resultados e de aprendizagem mais profundos.

Como alcançar níveis de deep work

Mas na prática não é tão fácil. Por todos os desafios enunciados no início, de facto o foco longo, exaustivo e profundo numa tarefa de cada vez não é bem “a nossa cena”… sobretudo para quem, como eu, cresceu com a tecnologia enquanto meio de trabalho, de estudo e de lazer – que atire a primeira pedra quem nunca pegou no telemóvel para mandar sms ou ir às redes sociais enquanto via um filme…

Examinando vários exemplos ao longo do livro, Cal Newport consegue mostrar-nos como passar de shallow a deep enquanto identifica as grandes vantagens e bons resultados que essa mudança trouxe.

Destaco aqui 5 das principais conclusões para eliminar distrações e conseguir foco:

1. Reservar um tempo para a nossa tarefa

Sobretudo para tarefas que precisam de foco por um longo período (como redigir um ensaio, fazer um trabalho para a faculdade, terminar um relatório ou desenvolver uma estratégia, escrever um capítulo para um livro), deves criar auto disciplina. Escolhe o período do dia onde sentes que há mais produtividade, elimina as distrações nessa altura e foca-te nessa única tarefa.

2. Sair das redes sociais

Os bip bip constantes das notificações, a tentação de espreitar publicações e de responder a mensagens não são nada benéficos na hora de concretizares tarefas. Considera mesmo fazer um detox, eliminar o perfil por algum tempo (ou indeterminadamente), ou, menos drástico, desligar notificações, colocar o telemóvel longe…

3. Não estar sempre disponível

Pode parecer insensível dizeres “hoje não estou cá para ninguém”, mas a verdade é que quando ficas “ausente” das tuas redes, dos teus emails e de outras formas de contacto, as hipóteses de te interromperem é mínima. Num dos exemplos do livro, há mesmo uma pessoa que ativa as respostas automáticas aos emails como se estivesse de férias e, assim, consegue focar-se no que precisa de fazer durante o tempo necessário.

4. Focar numa tarefa de cada vez

E sobretudo manter esta auto disciplina de não saltitar entre to-do’s! É uma das regras essenciais para conseguires ter foco total no que estás a fazer, permitindo-te aproveitar bem o tempo e não cansar a mente com o raciocínio doido de um lado para o outro. Com total atenção, consegues concluir algo com maior qualidade e profundidade – porque, adivinhaste, não desviaste o foco para trinta mil outras coisas.

5. Permitir o tempo para aborrecimento

Este, sim, é o verdadeiro desafio, meus caro. Porque estamos “on” o tempo todo, com mil projetos e ideias em simultâneo, e porque não sabemos estar sem fazer nada ou até a fazer algo que gostemos e nos acrescente. Assim, ocupa o tempo livre com um hobbie, aprende algo novo, lê, dorme, medita, faz exercício… Ou então, melhor ainda, fica só a olhar para o teto ou para o céu sem fazer nada – dizem que é aqui que evoluímos e onde nascem as melhores ideias.

Já leste este livro? O que achas destas sugestões?


Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s