Planos de leitura para 2021

Este título é um pouco enganoso: na verdade, não fiz praticamente planos de leitura para este ano. Quero voltar ao “básico” da leitura, experienciando cada livro de forma singular e sem ansiedade. Explico tudo dentro de momentos.

A pressão do reading challenge

Há alguns anos que entrei na plataforma Goodreads – se também lês e ainda não a conheces, vais descobrir um novo mundo. Para quem é versado nesta espécie de rede social para “livrólicos”, sabe que há um pequeno grande desafio de leitura a que nos propomos todos os anos: o famoso Reading Challenge.

Nesse desafio, basta introduzir o número de livros que nos propomos ler durante o ano e siga com a leituras. Mas este desafio pode funcionar como um “pau de dois bicos”:

  • por um lado, motiva-nos a ler para nos mantermos no caminho certo e atingir o objetivo proposto;
  • por outro lado, traz a pressão de ler quase obrigatoriamente, sem vontade e de forma pouco atenta, para devorar livros e cumprir a meta.

Houve anos em que não atingi o objetivo pensado, outros em que até o ultrapassei. Mas a que custa aconteceu isso? Algumas das leituras não foram memoráveis, outras pouco me disseram e, inclusive, certos livros até esqueci do que falaram.

Por isso este ano, apesar de ter estabelecido um número no Reading Challenge (que já nem sei quanto foi), vou guiar-me por outros fatores decisivos para ler. Ler melhor em vez de ler mais será o mote de 2021, onde me vou focar na qualidade das leituras, na diversidade de autores e de temas. Se há um objetivo para a leitura tem de ser esse: sentir que me acrescenta, desconstrói e enriquece.

Liberdade no clube de leitura

O único plano que fiz para ler este ano está no clube de leitura Livros Mil. A ideia é lermos um ou mais livros na temática sugerida em cada mês do ano, sem leituras obrigatórias nem mais pressão.

Assim vamos ter maior diversidade de livros e autores, o que nos permite também alargar conhecimentos literários, e ainda criamos espaço para discussão das temáticas com várias perspetivas.

Explorar as estantes em casa

Sem dúvida que este será o maior compromisso de leitura este ano: ler o que está nas estantes de casa há demasiado tempo… Quem nunca comprou livros para os deixar marinar infinitamente na prateleira, mesmo que o objetivo inicial fosse lê-los?

Bom, aqui estou comprometida com isso mesmo. Julgo ter livros (mais do que) suficientes para as temáticas do clube de leitura e, caso haja algum tema sem leitura possível, irei escolher comprar em livrarias independentes para apoiar os pequenos negócios nacionais. Comprar menos, mas comprar em consciência.


E por aí? Quais são os planos de leituras para 2021? Deixa nos comentários o que estás a ler.