O peso do que não fomos (pt. III)

Não sei o que será pior: gostar de muita coisa ou não gostar de nada. Talvez assim reduzisse a pressão sobre mim mesma em como todos os projetos, hobbies, ideias têm de correr bem e ter excelentes resultados.

Continuar a ler

Encontrei-te nas páginas de um livro: desastres de revisão

Um livro que prometia muito, mas que se perdeu nas opções do que poderia ter sido. Demasiadas histórias não permitiram desenvolver a principal, que teria sido incrível.

⭐⭐

Xavier Bösch

Lembram-se daqueles jogos em que cada pessoa inventa partes de uma história, uma a seguir a outra? Este livro deu-me muito essa sensação e o resultado foi uma misturada de ideias que não tiveram um desenvolvimento ou conclusão bem feitos

O título cativou-me por trazer o imaginário dos livros e da escrita consigo e, até certo ponto, isso foi conseguido. Há uma série de livrarias importantes na relação com as personagens e as cartas deixadas pelo par amoroso revelam-nos mais sobre a sua relação.

Mas foi só isso, porque de resto ficou um pouco confuso e a quantidade pequenas histórias lançadas ficaram todas pela rama – para isso seriam precisas bem mais que 300 páginas, isto foram vários livros mal explorados dentro de um.

O palco principal é atravessado por demasiadas personagens, com histórias que pouco acrescentam à intriga que se pretendia a principal, que assim resumo: a jovem Gina, que perdeu a mãe ainda em criança, descobre através de umas cartas herdadas que a mãe viveu um romance intenso, ainda que curto, numa breve viagem a Paris alguns anos antes de falecer.

“Ui, tantas hipóteses giras para explorar!”, sim, é verdade, mas é preciso cuidado para não nos perdermos nelas… Parece-me que houve um trabalho fraco a nível de edição e revisão desta narrativa, o que culminou na superficialidades dos temas abordados, na confusão de momentos e na tentativa de “chegar a todo o lado”.

Havia uma narrativa principal super interessante que o autor propôs, mas por alguma razão deu demasiadas voltas; introduziu personagens sem qualquer relevância ou que prometiam muito e depois não serviram, exatamente, para nenhum avanço na história; algumas ações e momentos são forçados e encaixam mais numa narrativa estereotipada, machista e pouco coerente, do que se fazia prever.

Eu esperava uma história “leve” mas interessante, um par romântico mas não estereotipado, alguma previsibilidade mas não a desilusão.

Apesar disso, convido-te a leres porque opiniões são sempre diferentes e tenho curiosidade em saber o que outras pessoas possam achar depois desta leitura.

*este link é afiliado Bertrand: na compra através deste, uma percentagem reverte em crédito para mim, exclusivamente utilizado no site Bertrand