O peso do que não fomos (última parte)

Ficaria, realmente, contente por me debruçar sobre um só passatempo? Ou estarei apenas a procrastinar o desenvolvimento mais a fundo de todos os outros?

Ler Mais

O peso do que não fomos (pt. I)

Se tivesse uma moeda por cada vez que me recordam de algo em que eu já fui tão boa, estaria agora a construir um castelo nas nuvens, num qualquer país feito de outras tantas coisas conquistadas e perdidas, ou que podem não chegar nunca.

Ler Mais